Piracaia, 23 de maio de 2.019

Pneumonia em Idosos

Publicado em 04 de março de 2019


Pneumonia: infecção dos pulmões

Uma Infecção acontece quando há invasão, desenvolvimento e multiplicação de um microorganismo no organismo de um animal ou planta. A invasão desencadeia no hospedeiro uma série de reações do sistema imunológico, a fim de defender o local afetado resultando, geralmente, em inflamações.

Pneumonias são infecções que se instalam nos pulmões. Podem acometer a região dos alvéolos pulmonares, onde desembocam as ramificações e terminais dos brônquios. E, às vezes, os interstícios (espaço entre um alvéolo e outro).

São provocadas por bactérias, vírus, fungos e/ou reações alérgicas no espaço alveolar – local onde efetivamente ocorre a troca gasosa (Oxigênio e Dióxido de Carbono). Este local deve estar sempre muito limpo, livre de substâncias que possam impedir o contacto do ar com o sangue. Diferentes do vírus da gripe, que são altamente infectantes, os agentes infecciosos da pneumonia não costumam ser transmitidos facilmente.

Os principais sintomas são febre alta, tosse, dor no tórax, alterações da pressão arterial, falta de ar (podendo causar até confusão mental), mal-estar generalizado, secreção de muco purulento de cor amarelada ou esverdeada, toxemia (intoxicação resultante da ação de produtos bacterianos difundidos pela corrente circulatória), prostração.

Fatores de risco

Tratamento

O tratamento das pneumonias requer o uso de antibióticos em caso de origem bacteriana ou fungica e a melhora costuma ocorrer em três ou quatro dias. A internação hospitalar pode acontece quando a pessoa é idosa, tem febre alta ou apresenta alterações clínicas decorrentes da própria pneumonia, tais como: comprometimento da função dos rins e da pressão arterial, dificuldade respiratória caracterizada pela baixa oxigenação do sangue porque o alvéolo está cheio de secreção e não funciona para a troca de gases.

O envelhecimento traz alterações no sistema respiratório.

Fonte: https://idosos.com.br/pneumonia-em-idosos/